Bem-vindo(a) Visitante sair | minha ufmg
SIEX/UFMG
Ações de Extensão
Georreferenciamento
Contato e Suporte
 
       

Projeto - 403749 - Como ler um infográfico? Estratégias de informação e desinformação sobre a pandemia de COVID-19

Registro: 403749
Aprovado pelo CENEX em: 22/04/2020
 
Status: Ativo
 
Título: Como ler um infográfico? Estratégias de informação e desinformação sobre a pandemia de COVID-19
 
Data de início: 02/05/2020 Previsão de término:
31/07/2021
 
   
 
Data da última aprovação pelo Órgão Competente: 22/04/2020
 
Órgão Competente: Câmara Departamental
 
 
CARACTERIZAÇÃO
 
Ano em que se iniciou a ação: 2020
 
Unidade: Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
 
Departamento: Departamento de Comunicação Social
 
Programa vinculado: SEM VÍNCULO
Principal Área Temática de Extensão: Comunicação
 
Área Temática de Extensão Afim: Saúde
 
Linha de Extensão: Endemia e Epidemia
 
Grande Área do Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas
 
Palavras-chave: pandemia
COVID-19
coronavírus
Infografia
Fake news
Jornalismo
Mídias sociais
 
 
DESCRIÇÃO
 
Apresentação e justificativa:
Este projeto de extensão trata da importância das estratégias de comunicação voltadas para a divulgação científica para o grande público. O objetivo é criar uma canal digital de orientação da população sobre como ler os infográficos sobre a pandemia de Coronavírus (COVID-19). Este projeto de extensão integra ações de pesquisa e ensino da graduação e da pós-graduação do Departamento de Comunicação Social, almejando criar condições para uma reflexão crítica sobre os processos de mediação de informações que ocorrem nos meios de comunicação nesse contexto.

No cenário midiático da atual pandemia, a ciência ocupa um papel central. A legitimação de opiniões sobre a crise sanitária passa, necessariamente, pelo suporte do discurso científico, responsável por endossar ou refutar notícias sobre a situação da pandemia. Assim, um dos desafios colocados nesse cenário de crise consiste em desenvolver habilidades para se traduzir e compreender o discurso científico, muitas vezes recheado de informações técnicas, tabelas, gráficos e estatísticas que dificultam a compreensão para o público leigo.

Além dessa necessidade de adaptação do discurso científico em um formato didático e acessível, identifica-se também a proliferação de notícias falsas ou distorcidas. Essas notícias, supostamente apoiadas por evidências científicas, contribuem para a circulação de informações imprecisas ou propositalmente enganosas, a fim de pautar a opinião pública acerca de temas que extrapolam a própria crise sanitária. Em outras palavras, nota-se a coexistência de ações de informação e desinformação sobre a pandemia, ambas suportadas por diferentes atores e suas respectivas estratégias discursivas.

Nesse cenário de disputa de narrativas, destacamos um formato específico de transmissão do discurso científico, bastante popular nas notícias e nos conteúdos compartilhados nas mídias sociais: os infográficos. Os infográficos são compreendidos como tipos de diagramas que procuram comunicar uma mensagem baseada em dados quantitativos, espaciais, narrativos ou cronológicos, contextualizados visualmente através da integração de textos, imagens e formas. Infográficos geralmente são utilizados como um recurso didático no contexto jornalístico, revelando complexidades por trás dos dados armazenados em outros suportes, tais como bancos de dados, tabelas ou relatórios. Nesse sentido, esses artefatos gráficos costumam ser utilizados como aliados do discurso científico, na medida em que traduzem os dados representados em formas visuais que estimulam o aprendizado e o conhecimento.

Identificamos que os infográficos têm sido intensamente utilizados para explicar a crise do Coronavírus. Essa constatação se evidencia, por exemplo, pela popularização do gráfico sobre o “achatamento da curva”, amplamente divulgado nos veículos jornalísticos e nas próprias mídias sociais como argumento a favor do isolamento social durante a pandemia. Por outro lado, em contraposição a esse argumento, surgem, por exemplo, gráficos maliciosos que comparam o grau de letalidade do COVID-19 com outras doenças infecciosas, a fim de justificar opiniões a favor do retorno das atividades econômicas. Esse cenário, portanto, aponta para uma questão central neste projeto de extensão: quais são e como operam os principais infográficos utilizados para promover a informação e a desinformação da população a respeito da pandemia causada pelo Coronavírus (COVID-19)?

Assim, este projeto pretende levar o debate sobre as estratégias de informação e desinformação sobre o Coronavírus para a sociedade, tomando a infografia como recorte. Acreditamos que o desenvolvimento de um projeto que auxilie a população a ler e interpretar infográficos pode contribuir para uma melhor avaliação crítica das informações que circulam sobre a pandemia. Dessa maneira, este projeto de extensão visa promover uma espécie de educação ou literacia midiática, na medida em que estimula a reflexão sobre esses discursos.
 
Objetivos gerais:
O objetivo principal é estimular uma reflexão crítica na sociedade sobre como ler e interpretar um infográfico. Pretendemos criar um canal digital de orientação da população voltado para o desenvolvimento de habilidades de leitura, compreensão e questionamento dos infográficos que tratam das informações científicas referentes à divulgação da pandemia do COVID-19. Esse canal utilizará plataformas de criação de blogs e mídias sociais (Facebook. Twitter e Instagram) para difusão do conteúdo.
 
Objetivos específicos:
- Criar um catálogo digital de infográficos sobre a pandemia do COVID-19, contendo análises sobre seus possíveis modos de interpretação, a fim de orientar a população sobre seu conteúdo.

- Explicitar critérios, em formato de passo-a-passo, para orientar a leitura crítica de um infográfico pelo público. Tais critérios contemplariam questões referente à fonte dos dados, à escala e à proporção do elementos, à legenda e aos textos de apoio.

- Alertar a população sobre o uso malicioso de gráficos e dados estatísticos para a disseminação de fake news nas mídias sociais.

- Elaborar um conteúdo didático sobre “como ler e interpretar um infográfico”, que possa ser facilmente redistribuído nas mídias sociais.

- Monitorar e coletar infográficos que circulam nas mídias sociais e nos principais canais de notícia no Brasil, a fim de acompanhar a repercussão desse formato na cobertura da pandemia.
 
Metodologia:
Este projeto irá criar um canal de divulgação baseado em plataformas digitais de blogs e mídias sociais. O conteúdo elaborado será centralizado em um website em formato de blog. Além disso, criaremos perfis do projeto nas ferramentas Facebook, Twitter e Instagram, que servirão de apoio tanto na divulgação desses conteúdos quanto na interação com o público. O desenvolvimento desse canal requer duas frentes de atuação:

1) Pesquisa e análise dos casos.
- identificar infográficos de ampla circulação relacionados à epidemia.
- catalogar e classificar esses infográficos.
- levantar os temas a que se referem esses infográficos, bem como a fonte dos dados utilizados.
- analisar esses infográficos, tendo em vista as estratégias gráficas e textuais utilizadas.
- apontar o potencial interpretativo desses infográficos.
- criar relatórios e elaborar análises conclusivas.

Os infográficos coletados nessa fase serão extraídos das mídias sociais Facebook, Twitter e Whatsapp, através da monitoração de publicações feitas tanto por veículos jornalísticos (como Folha de S. Paulo, UOL, G1, BBC Brasil etc.) quanto por outros usuários dessas redes (sejam jornalistas, cientistas, políticos, professores etc.). Como critério, serão escolhidos os infográficos que tiverem o maior número de curtidas, comentários e compartilhamentos.

A análise dos infográficos será amparada pela metodologia semiótica desenvolvida pelo filósofo e lógico estadunidense Charles Peirce. A semiótica é uma corrente de estudos que investiga as diferentes maneiras como os signos se manifestam nos discursos (verbais, sonoros, textuais, visuais etc.). Apoiando-se em métodos consistentes, a semiótica fornece um roteiro de análise que ajuda a identificar como as variadas manifestações sígnicas operam. Dentre os tipos de signos estudados por Peirce, destacam-se os diagramas, que formam a base dos infográficos.

2) Planejamento, criação e implementação do canal
- Detalhamento do público-alvo.
- Levantamento dos conteúdos e seções do site.
- Criação do “mapa do site” para organização dos conteúdos em seções.
- Criação de protótipos de interface, para validação da estrutura.
- Escolha da plataforma de CMS (content management system).
- Criação de layouts para a interface gráfica.
- Implementação e testes.
- Alimentação do conteúdo levantado na fase de pesquisa.
- Criação dos perfis nas mídias sociais (Facebook, Twitter e Instagram).
- Elaboração de plano de divulgação com calendário de postagens.
- Criação de conteúdo para os posts, a partir dos conteúdos do site.
- Monitoramento das postagens e interação com público.
 
Forma de avaliação da ação de Extensão:
A efetividade das ações deste projeto de extensão poderão ser avaliadas pelos seguintes critérios:

1) Audiência e volume de interações gerados pelos conteúdos do site. Vamos acompanhar, através de ferramentas de monitoramento de audiência, algumas métricas como: visualizações de página, tempo médio de visita, origem de tráfego, dispersão geográfica dos acessos etc.

2) Análise de métricas dos perfis criados nas mídias sociais, tais como volume de interações, quantidade de seguidores, quantidade de compartilhamentos, volume e qualidade dos comentários etc.

3) Além do próprio site, pretendemos alcançar a comunidade externa por meio da publicação de artigos científicos e de uma dissertação de mestrado, cujos temas estão diretamente ligados às pesquisas que sustentam este projeto.
 
Site: em desenvolvimento
 
Origem do público-alvo: Interno e Externo
 
Caracterização do público-alvo:
O site pretende alcançar pessoas que consomem informações na internet sobre a situação do Coronavírus no Brasil. Trata-se de um público amplo, caracterizado por pessoas entre 18 e 80 anos, usuários de mídias sociais. O público deve ter acesso a um dispositivo conectado à rede, seja um desktop ou dispositivo móvel. O site também não fará distinção quanto às suas preferências políticas, pois a intenção é justamente prover um conteúdo capaz de “furar as bolhas” e atravessar diferentes perfis.
 
Captação por edital de fomento: Não
 
Articulado com política pública: Não
 
 
ESTUDANTES MEMBROS DA EQUIPE
 
Plano de atividades:
O desenvolvimento deste projeto de extensão conta com um esforço integrado de pesquisa e ensino do Departamento de Comunicação Social, envolvendo pesquisas de Iniciação Científica e Mestrado. No âmbito da graduação, este projeto irá contar com a atuação de alunos do curso de Publicidade e Propaganda nas disciplinas laboratoriais, cujas atividades práticas serão direcionadas para o desenvolvimento do canal.

Os estudantes envolvidos na etapa de pesquisa cumprirão o seguinte plano de atividades:

- Revisão bibliográfica sobre design de informação e infografia.
- Revisão bibliográfica sobre semiótica e diagramas.
- Pesquisa e seleção do corpus de análise.
- Categorização dos infográficos selecionados.
- Análise dos componentes visuais dos infográficos selecionados.
- Preparação dos relatórios conclusivos das análises.
- Elaboração de artigos e apresentações com os resultados obtidos nas análises.

Os estudantes envolvidos no desenvolvimento do canal cumprirão o seguinte plano de atividades:

- Pesquisa e detalhamento do público-alvo.
- Criação de categorias para organização do conteúdo do site.
- Elaboração de protótipos das telas de navegação.
- Pesquisa e monitoramento de infográficos em mídias sociais.
- Criação e acompanhamento de perfis do projeto nas mídias sociais.
- Elaboração de plano de divulgação interna junto aos canais institucionais da UFMG.
- Alimentação do site com as análises elaboradas na etapa de pesquisa.
- Monitoramento das métricas de a
 
Plano de acompanhamento e orientação:
A etapa de pesquisa será acompanhada pelos respectivos orientadores dos projetos de Iniciação Científica e de Mestrado, ambos envolvidos neste projeto de extensão. Os alunos serão acompanhados semanalmente através de reuniões de orientação. Os alunos envolvidos na elaboração do canal de divulgação do conteúdo (blog e mídias sociais) serão acompanhados em encontros semanais.
 
Processo de avaliação:
Os estudantes envolvidos no projeto serão avaliados quanto à assiduidade, comprometimento e participação efetiva. Os estudantes serão incentivados a divulgar os resultados parciais da pesquisa em eventos acadêmicos, tais como a Semana de Iniciação Científica e os seminários internos da pós-graduação, organizados pelo PPGCOM. Os alunos também serão incentivados a produzir artigos acadêmicos, em co-autoria com os professores. A criação das peças gráficas e visuais de divulgação no blog e nas mídias sociais serão avaliadas pelos professores, considerando critérios como adequação do conteúdo, linguagem apropriada e uso relevante de recursos gráficos.
 
 
INFORMAÇÕES ESPECÍFICAS
 
Infra-estrutura física:
Por se tratar do desenvolvimento de uma canal digital, o projeto não requer espaço físico de atendimento presencial do público. As atividades internas de pesquisa e desenvolvimento do site serão realizadas nos seguintes laboratórios do Departamento de Comunicação Social da UFMG:

- Sislab: laboratório de computadores equipados com ferramentas de criação gráfica e desenvolvimento de interfaces interativas.
- Atelier de Publicidade: espaço laboratorial integrado às atividades de ensino e pesquisa de linguagens gráficas aplicadas ao design e à área de publicidade e propaganda.
- NucCom: sala do Núcleo de Pesquisa em Conexões Intermidiáticas da UFMG, grupo de pesquisa que irá apoiar este projeto de extensão.

Os recursos para a hospedagem do site serão avaliados em conjunto com o departamento de infraestrutura e suporte técnico da FAFICH, utilizando preferencialmente plataformas open-source e de acesso livre.
Vínculo com Ensino: Sim
Vínculo com Pesquisa: Sim
Público estimado: 500
 
 
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
 
Informações adicionais:
Estima-se que o conteúdo produzido por este canal possa alcançar cerca de 500 visitantes únicos durante o período de vigência do projeto.
 

   

Av. Antônio Carlos, 6627 - Campus Pampulha - Prédio da Reitoria, 6º andar - Belo Horizonte - MG
Fones: (31) 3409-4070/3409-4062 Fax: (31) 3409-4068 - E-mail: gab@proex.ufmg.br