Bem-vindo(a) Visitante sair | minha ufmg
SIEX/UFMG
Ações de Extensão
Georreferenciamento
Contato e Suporte
 
       

Programa - 500396 - IND.URB

Registro: 500396
Aprovado pelo CENEX em: 19/02/2018
 
Status: Ativo
 
Título: IND.URB
 
Data de início: 01/09/2017 Previsão de término:
31/12/2018
 
   
 
Data da última aprovação pelo Órgão Competente: 25/08/2017
 
Órgão Competente: Congregação
 
 
CARACTERIZAÇÃO
 
Ano em que se iniciou a ação: 2017
 
Unidade: Escola de Arquitetura
 
Departamento: Departamento de Urbanismo
 
Principal Área Temática de Extensão: Direitos Humanos e Justiça
 
Área Temática de Extensão Afim: NÃO POSSUI
 
Linha de Extensão: Desenvolvimento Urbano
 
Grande Área do Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas
 
Palavras-chave: planejamento urbano, cartografia,neoliberaliação, política urbana, urbanismo, operação urbana
 
 
DESCRIÇÃO
 
Apresentação e justificativa:
O Programa IND.URB é uma proposta de programa de extensão vinculada ao Grupo de Pesquisa do CNPQ sediado na Escola de Arquitetura da UFMG denominado Indisciplinar (http://blog.indisciplinar.com) e visa desenvolver projetos de extensão associados à pesquisa, gerando tecnologia social e atuando em rede com diversos movimentos sociais e comunidades em estado de vulnerabilidade, com ênfase na dimensão urbana desses processos e seus efeitos sobre o planejamento, produção e gestão do espaço urbano.
O programa resulta do desmembramento do programa extensionista IND.LAB – Laboratório Nômade do Comum que, desde 2012, trabalha a investigação e mobilização social em diferentes frentes de ação, e cujo desenvolvimento demandou a reestruturação dos projetos de extensão do Grupo Indisciplinar em três programas de extensão: o Programa IND.LAB, o Programa IND.URB, e o Programa Natureza Política. Nesse novo arranjo, o Programa IND.URB. passa a abrigar dois projetos: o Projeto BH S/A, iniciado no segundo semestre de 2016, e o Projeto Plataforma do Urbanismo Biopolítico, iniciado em 2012.
Alinhado aos demais programas extensionistas do Grupo Indisciplinar, o IND.URB. trabalha a partir de quatro dimensões principais: (a) a espacial-territorial, composta por cartografias colaborativas e ferramentas de georreferenciamento e interação; (b) a temporal, por meio do levantamento, análise e representação da evolução dos fenômenos investigados; (c) a conceitual-informacional, utilizando produção colaborativa, processual e em rede do conhecimento como forma de desenvolvimento dos marcos teóricos que norteiam a pesquisa e armazenamento de bases de dados; (d) a comunicacional ou de criação de redes, a partir do uso tático das redes sociais e canais de comunicação de ampla utilização na internet, aulas públicas, formação popular e oficinas.
 
Objetivos gerais:
Cartografia dos processos de neoliberalização da produção do espaço urbano e das lutas territoriais.
 
Objetivos específicos:
1. Produção de conhecimento e utilização de dispositivos para ações de resistência às frentes de neoliberalização e expropriação do comum urbano;
2. Confecção de processos cartográficos e mapas territoriais.
3. Dar visibilidade aos conflitos socioambientais e atuar como instrumento de denúncia.
4. Gerar conhecimento e tecnologias sociais através da organização e mobilização.
 
Metodologia:
Os modos de fazer envolvendo tecnologia social são fundamentais para legitimar as ações que fazem fronteira com o ativismo em defesa dos bens comuns, são eles: desenvolvimento de pesquisas teóricas e conceituais; participação em reuniões e atos junto aos movimentos sociais, culturais e ambientais; participação em atividades políticas como audiências públicas e reuniões de conselhos municipais e estaduais; organização tecnopolítica dos movimentos parceiros realizando colaborativamente e em rede fanpages, blogs, cartilhas, memes, flyers, documentários, infográficos, revistas, livros jornais; produção e participação em eventos artísticos, políticos e culturais, dentre outros; representação em Conselho Municipal; produção de cartografias e mapas colaborativos; formação de rede entre grupos de pesquisa e também entre movimentos sociais; inteface com pesquisas de mestrado, doutorado e pós-doutorado; artigos científicos em revistas indexadas.
 
Forma de avaliação da ação de Extensão:
A avaliação irá considerar produtos e indicadores. Em relação aos produtos e respectivos rebatimentos no
compartilhamento dos dados, os dois projetos vinculads ao programa prevêm relatórios de consolidação e atualização das plataformas das frentes de
pesquisa-ação, informação que irá compor o relatório final e respectiva publicação. Em relação
aos indicadores, será monitorado a capacitação e protagonismo dos beneficiários, a produção das cartografias, criação de coletivos e outras formas de mobilização e a repercussão da extensão sobre a produção do espaço urbano.
 
Site: www.indisciplinar.com
 
Origem do público-alvo: Interno e Externo
 
Caracterização do público-alvo:
O público-alvo do projeto inclui todos os grupos de cidadãos que afetam ou são afetados pelos processos de
neoliberalizção identificados no espaço urbano. De modo mais específico, como se trata de um programa composto por projeto orientado pela divulgação e tradução de informações voltadas para a identificação de impactos e resistências a estes processos, será dada maior ênfase à identificação, diálogo e mobilização de público-alvo composto por movimentos sociais.
 
Captação por edital de fomento: Não
 
Articulado com política pública: Não
 
 
ESTUDANTES MEMBROS DA EQUIPE
 
Plano de atividades:
Inclui desenvolvimento de metodologia e criação de tecnologia social nos processos de produção das cartografias críticas (sociais, políticos, econômicos, culturais, etc.) no espaço urbano. O objetivo deste projeto é construir cartografias que conjuguem sinteticamente a complexidade sócio-política-espacial em infográficos que espacializem as informações, revelando assim as relações de poder no espaço urbano. Pretende-se realizar experimentações de tecnologias de representação para registrar e analisar os dados. De
modo complementar, serão promovidos grupos de estudos, leituras e reflexões sobre os temas correlatos aos processos identificados, resultando em produção de material acadêmico e didático.
 
Plano de acompanhamento e orientação:
O desenvolvimento de todas as atividades será acompanhado pelo coordenador do Programa, levando em conta a participação dos estudantes nas atividades de capacitação e monitoria e a orientação para a produção de um portfólio/relatório que tem sido montado ao longo de todo o processo. Para o artigo científico, o bolsista contará com a orientação do coordenador, membro da equipe, com sessões mensais de orientação individual. Além disto, o blog e a fanpage do facebook (importante dispositivo de comunicação com a sociedade) serão importante fonte de informação para avaliação online e em tempo real das atividades.
 
Processo de avaliação:
Os estudantes serão avaliados de acordo com a quantidade e qualidade dos produtos, rebatimento acadêmico da extensão na formação do alunos e pelo engajamento nas ações realizadas.
 
 
INFORMAÇÕES ESPECÍFICAS
 
Infra-estrutura física:
Os alunos bolsistas terão um posto de trabalho na EA UFMG e contarão com estrutura de equipamentos (2
computadores, impressora e câmera) para o desenvolvimento das cartografias e material de divulgação das informações (mapas, peças gráficas, blog, fan page, etc). O projeto propôr também a realização de oficinas e aulas públicas compartilhando a infraestrutura itinerante existente no Indisciplinar quando realizada em espaços públicos ou outro local disponibilizado (associação de bairro, ONG, entre outros).
Vínculo com Ensino: Não
Vínculo com Pesquisa: Não
Público estimado: 800
 
 
INFORMAÇÕES ADICIONAIS
 
Informações adicionais:
 

   

Av. Antônio Carlos, 6627 - Campus Pampulha - Prédio da Reitoria, 6º andar - Belo Horizonte - MG
Fones: (31) 3409-4070/3409-4062 Fax: (31) 3409-4068 - E-mail: gab@proex.ufmg.br